Artigos Beleza e Saúde



Os efeitos do fumo na Cirurgia Plástica

O cigarro está diretamente relacionado com muito problemas de saúde, mas em situações especiais ele pode ser ainda mais perigoso. O tabaco está ligado a uma chance aumentada de desenvolvimento de câncer de pulmão, de bexiga, de garganta e de estomago, promove o entupimento de artérias por favorecer o desenvolvimento de placas de gordura dentro dos vasos, e também é o maior responsável pelo enfisema pulmonar. O cigarro é a maior causa de morte evitável no mundo!
O fumo é rico em monóxido de carbono, assim como em muitas outras substancias. No nosso sangue, quem carrega o oxigênio são as moléculas de hemoglobina. A hemoglobina tem uma afinidade grande pelo oxigênio, mas tem uma afinidade muito maior pelo monóxido de carbono. Na presença de monóxido de carbono, a hemoglobina “prefere” se ligar a este do que ao oxigênio. E quando ela se liga ao monóxido de carbono, ela o faz de uma maneira muito estável, demorando muito para conseguir se desligar. E enquanto a hemoglobina estiver ligada a ele, ela não consegue se ligar ao oxigênio.  Sendo assim, o sangue de um fumante é rico em monóxido de carbono, e mais pobre em oxigênio do que o sangue de uma pessoa que não fuma.
Outro efeito do cigarro é causado pela nicotina. A nicotina é a responsável pela dependência física do cigarro, o vício. A nicotina tem um efeito direto sobre os vasos sanguíneos, promovendo sua vasoconstrição, ou seja, seu estreitamento.  Portanto, em fumantes, o sangue tem uma dificuldade maior de chegar nas extremidades, visto que a nicotina faz a diminuição do calibre dos vasos, principalmente das artérias mais finas, terminais.
Em situações habituais provavelmente nenhum fumante perceba estas alterações, já que o organismo encontra formas de compensá-las. Porém em situações extremas, como em Cirurgias Plásticas que exijam um descolamento muito grande da pele, como em abdominoplastias ou em cirurgias de Face, estes efeitos podem se manifestar. Quando descolamos a pele dos planos profundos diminuímos muito a quantidade de sangue que chega nesta pele, e sua nutrição será baseada principalmente na microcirculação, presente em uma das camadas da pele, a derme. Imagine ainda que, além de descolada, esta pele ainda é esticada para corrigir possível flacidez. Nestas situações a quantidade de sangue que chega nessa região pode ficar muito diminuída pelo efeito vasoconstritor da nicotina. E ainda por cima este sangue que chega com dificuldade ainda é rico em monóxido de carbono, e pobre em oxigênio. Sendo assim, esta pele pode sofrer ou mesmo morrer, e causar o que chamamos de necroses. As necroses são a morte tecidual, e se apresentam como placas pretas na área afetada, e que exigem sua retirada cirúrgica, com uma cicatrização muito lenta ou mesmo com necessidade de enxerto de pele. Você pode imaginar as consequências estéticas de um problema como este!
E isto que estamos falando apenas dos problemas na pele.
Por este motivo que muitos cirurgiões não operam fumantes, ou pelo menos pedem que seus pacientes parem de fumar pelo menos duas semanas antes da cirurgia, e só retornem a fumar duas semanas após. Estes cuidados diminuem as chances de complicações, mas não as impedem completamente, já que anos de tabagismo prévio podem já ter causado alterações irreversíveis na microcirculação, por entupimento dos vasos sanguíneos.
Por isso o cigarro é tão perigoso. Nunca fume, e aconselhe seus amigos a pararem de fumar.

NUNCA É TARDE PARA PARAR DE FUMAR!

E lembre-se também - Cirurgia Plástica é com Cirurgião Plástico!